Página Inicial | QUINTA-FEIRA, 18 DE JANEIRO DE 2018
Postada por: Jr Lopes dia 12/01/2018
Santos inicia reforma da Vila Belmiro com planos ousados
Compartilhar Notícia
Diretoria do Peixe contratou um escritório de arquitetura com a missão de viabilizar uma reforma no estádio (Foto: Globoesporte)


A nova diretoria do Santos quer que a Vila Belmiro volte a se tornar um "alçapão", como era até a década passada. Para isso, contratou um escritório de arquitetura com a missão de viabilizar uma reforma no estádio, que se tornou centenário em 2016 e passou por várias mudanças ao longo dos anos.

 

O primeiro passo foi dado nesta quinta-feira: acabar com o setor de camarotes atrás do gol oposto ao placar, transformando o local numa arquibancada popular. Essa obra, considerada mais simples, deve ficar pronta ainda neste primeiro semestre.

 

– Aquele camarote do fundo, que mais parece uma choupana, aquilo vai sair tudo. Os vidros vão ficar menores – diz o presidente do Santos, José Carlos Peres.

 

Há outros conceitos sendo discutidos, como uma mudança no local destinado à torcida visitante. Mas a ideia mais ousada almeja acabar com pontos cegos no estádio, principalmente os do antigo "setor Visa" – o trecho térreo da chamada "arquibancada do retão".

 

Não há ainda um projeto definido. O que existe é um conceito: unir o primeiro e o segundo pavimentos desse retão, deixando intacto apenas o terceiro andar. Guardadas as devidas proporções, é algo similar ao que foi feito no Maracanã, que viu a "geral" e o setor de cadeiras se tornar um novo local de assentos numerados. No caso da Vila, porém, a ideia é que essa nova área seja de arquibancada.

 

– Estamos discutindo essas ideias. Não descartamos nem a possibilidade de criar uma estrutura tubular nesse setor, para uma fase de testes – diz um dos dirigentes que tem acompanhado mais de perto o trabalho do escritório de arquitetura contratado para realizar estudos na Vila.

 

Esse novo setor teria arquibancadas mais íngrimes. Com estrutura tubular, a referência óbvia é a do estádio da Ilha do Governador, a "Ilha do Urubu", que vem sendo utilizado pelo Flamengo. A expectativa é que isso ajude a aumentar a capacidade da Vila Belmiro, tornando-a novamente um alçapão. E o principal: com ingressos na faixa dos R$ 40 (arquibancada).

 

No ano passado, a média de público do Santos como mandante foi de 11.759 pessoas (17º entre clubes das Séries A, B e C do futebol brasileiro), sendo 8.264 na Vila Belmiro (em 25 jogos) e 22.682 no Pacaembu (oito partidas). CLIQUE AQUI e veja o gráfico detalhado.

 

A nova diretoria, encabeçada por José Carlos Peres, foi eleita com a promessa de levar mais jogos do Santos para São Paulo. O plano A é e sempre será o Pacaembu.

 

Na última quinta-feira, Peres formalizou na Federação Paulista de Futebol o pedido para que três dos seis primeiros jogos do Santos como mandante no Paulistão sejam no Pacaembu, inclusive as duas primeiras, contra Bragantino e Ituano. A estreia na Vila este ano seria em 14 de fevereiro, contra o São Caetano. CLIQUE AQUI e veja os mandos sugeridos pelo Santos à FPF.

 

Outras mudanças na Vila

Há várias outras ideias discutidas para dar mais conforto e opções para os torcedores na Vila Belmiro. Uma delas é levar o Memorial das Conquistas para a área do ginásio, que é bem maior. Outra é usar o chamado "Salão de Mármore" como um restaurante em dias de jogos.

 

– Vamos mexer também na estrutura para aumentar o número de cadeiras. Ou a gente abre o Salão de Mármore todinho para quem frequentar poder almoçar e assistir o jogo, como tem no Real Madrid, e criar uma estrutura mais social – diz Peres.


Fonte: Globo Esporte







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados