Página Inicial | SEGUNDA FEIRA, 22 DE OUTUBRO DE 2018
Postada por: Jr Lopes dia 07/10/2018
Polícia Federal flagrou 13 pessoas cometendo crimes eleitorais no MS
Compartilhar Notícia

A Polícia Federal flagrou 13 pessoas cometendo crimes eleitorais em Mato Grosso do Sul, durante o período de votações deste domingo (07/10), conforme balanço final divulgado pela PF. 

 

Em Campo Grande, foram registradas três ocorrências, pelos crimes eleitorais de boca de urna, compra de votos e desordem aos trabalhos eleitorais e resistência. 

 

Em Dourados, um eleitor foi detido tirando foto da urna eletrônica. No município, também foi registrada outra ocorrência de confusão e desordem na seção eleitoral. Propaganda irregular foi flagrada em Corumbá.

 

Já em Ponta Porã, três pessoas foram flagradas fazendo boca de urna. O mesmo crime eleitoral foi responsável por três autuações em Ponta Porã, sendo um caso de um adolescente, que foi encaminhado à Delegacia da Infância e Juventude pelo ato infracional.

 

Mais três ocorrências  ocorreram na região de Três Lagoas, com registro de ato infracional de boca de urna encaminhado à Delegacia da Infância de Juventude no município  e ainda boca de urna em Água Clara e Inocência.

 

Ainda houve casos em Corumbá, com uma ocorrência de propaganda irregular e outro em Naviraí de de transporte irregular de eleitores.

 

O delegado da Polícia Federal Fernando Rocha, afirmou que houve ainda muitos registros de ocorrências sobre casos de pessoas que afirmaram não terem conseguido votar para presidente, mas não soube especificar o número de ocorrências.

 

TRE

O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) apontou que cinco pessoas foram presas por causa de crimes eleitorais em Mato Grosso do Sul, até 16h deste domingo (7). Outras nove ocorrências sem prisão foram registradas pelo órgão.

 

Em Bonito - a 300 quilômetros de Campo Grande -, duas pessoas foram detidas por consumo de bebida alcoólica em local público. 

 

O álcool também provocou a prisão de uma pessoa em Bela Vista - distante 324 km da Capital. De acordo com o TRE-MS, o homem foi flagrado embriagado na seção eleitoral.

 

O Estado adotou a Lei Seca Eleitoral e proibiu o consumo de álcool em bares, lanchonetes, trailers, quiosques e conveniências, além de locais abertos ao público e similares, das 3h às 17h de domingo. Restaurantes que funcionaram durante o almoço, das 11h30min às 14h30min, foram liberados a vender os produtos.

 

Ainda segundo o TRE-MS, uma pessoa foi presa em Coxim - a 253 km de Campo Grande - quando espalhava “santinhos”. De acordo com o site Edição MS, o detido teria sido identificado como Flávio Duarte e seria presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

 

A prisão foi realizada na Rua Pereira Gomes, no Jardim Novo Mato Grosso, próximo a Escola Estadual Padre Nunes, chamado de “Marcelão, maior colégio eleitoral de Coxim.

 

A legislação eleitoral proíbe distribuição de panfletos, santinhos, o uso de alto-falantes, ou qualquer propaganda partidária ou de candidatos no dia das eleições.

 

O cidadão que fizer boca de urna no dia das eleições pode ser preso por 6 meses a 1 ano, ser obrigado a prestar serviços à comunidade e pagar multa entre R$ 5 mil a R$ 15 mil, além de ter o título de eleitor suspenso, dificuldades para obter a aposentadoria e não poder tirar passaporte e outros documentos.

 

O TRE-MS informou ainda que uma pessoa foi presa em Bodoquena - distante 260 km da Capital - por tentar votar no lugar de outra.


Fonte: Correio do Estado







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados