Página Inicial | TERÇA-FEIRA, 16 DE OUTUBRO DE 2018
Postada por: Jr Lopes dia 03/08/2018
Palmeiras apresenta Felipão nesta sexta
Compartilhar Notícia

Sim, o empate em 0 a 0 do Palmeiras com o Bahia, em Salvador, foi um bom resultado para o Verdão no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, e poderia ter sido melhor se não fosse o erro em cobrança de pênalti de Bruno Henrique. Mas o jogo na Fonte Nova mostrou também que Felipão terá ajustes para fazer na equipe a partir desta sexta-feira, quando ele será apresentado na Academia.

 

Com um time que procurou mais as jogadas pelo alto no campo de ataque – Deyverson foi o mais participativo, pelo alto e também por baixo –, chamou a atenção o posicionamento da equipe quando atacad, principalmente na primeira etapa. Ao tomar a posse de bola e tentar sair para o jogo, o Bahia encontrou o Verdão com uma linha de quatro no meio de campo, reforçado na marcação pelos dois pontas e com Felipe Melo na sobra.

 

Moisés teve a função de se aproximar mais dos atacantes. E foi dos pés dele um lance claro, desperdiçado por Dudu, logo no primeiro minuto de jogo. O camisa 10 tentou encontrar Willian em boa posição, mas contou com desvio da marcação para deixar o camisa 7 livre dentro da área para finalizar – Anderson defendeu.

 

Erros de finalização

O erro de Dudu mostrou um problema que já atrapalhou o Palmeiras em outras oportunidades: o chute ao gol. Depois da jogada desperdiçada pelo camisa 7, Deyverson teve outras duas boas chances para marcar, uma de bicicleta que passou perto, e outra em finalização dentro da pequena área que foi desviada pela marcação.

 

Na segunda etapa, já com Artur na vaga de Willian, o Verdão teve a chance mais clara do jogo em cobrança de pênalti. O chute forte de Bruno Henrique, porém, acertou o travessão e manteve o placar zerado.

 

O sobe e desce dos laterais

Marcos Rocha apareceu bem no ataque aos 25 minutos, quando deu passe para Deyverson finalizar dentro da pequena área. Mas, de uma maneira geral, o Verdão tem sofrido com a queda de produção de seus laterais, tanto na defesa quanto no ataque.

 

O maior problema está no lado esquerdo, com Diogo Barbosa em uma sequência de pouco destaque ofensivo e trabalho cosntante na parte defensiva. Contra o Bahia, o camisa 6 apareceu com perigo na linha de fundo uma única vez, em cruzamento rasteiro que não levou perigo.

 

Meio de campo palmeirense

Depois de um bom início contra o Bahia, o Palmeiras começou a perder espaço no meio de campo, o que fez os donos da casa crescerem na partida e terem domínio, mesmo que isso pouco representou em criação de jogadas perigosas – a mais clara foi um chute de Gilberto, na primeira etapa, em contra-ataque.

 

Os erros de saída de bola atrapalharam a evolução palmeirense, que passou a tentar explorar as jogadas de contra-ataque na segunda etapa, principalmente depois da entrada de Artur. Foi o atacante, aliás, que sofreu a penalidade desperdiçada por Bruno Henrique.

 

Quem viu o empate do banco de reservas foi Lucas Lima. Meia-atacante com característica para ser o articulador da equipe, o camisa 20 voltou da parada para a Copa mais participativo e decisivo quando esteve em campo - ele marcou no empate com o Santos e na vitória contra o Paraná. As recentes atuações fazem o atleta ser novamente uma opção para dar mais criatividade ao time.

 

A estreia de Felipão

Mesmo que tenha se comunicado com Andrey Lopes durante o empate com o Bahia, Luiz Felipe Scolari vai estrear no comando da equipe no domingo, quando o Palmeiras enfrenta o América-MG. O treinador terá apenas um dia para trabalhar com a equipe, em Belo Horizonte. Será que o Verdão terá novidades no Independência?


Fonte: Globo Esporte







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados