Página Inicial | SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2018
Postada por: Jr Lopes dia 27/01/2018
Excesso de umidade no solo prejudica lavouras de soja
Compartilhar Notícia
Mesmo com situação atípica, previsão é de safra recorde em MS (Foto: Divulgação)


Monitoramento feito por pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Agropecuária Oeste), em Dourados na região Sul do Estado confirma que excesso de umidade do solo e nebulosidade estão provocando abortamento de vagens da soja e ainda, reduzindo o enchimento de grãos.

 

Na avaliação do pesquisador, Danilton Luiz Flumignan, a ocorrência de chuva na fase reprodutiva das lavouras, tão desejada pelos agricultores aconteceu, porém veio acompanhada de alta nebulosidade.

 

“No período de 19 de dezembro até 23 de janeiro, a região Sul do MS esteve sob a constante presença de nebulosidade. Dos 36 dias deste período, tivemos chuvas em 30 deles. Ou seja, embora as plantas tivessem água à disposição, faltou luz solar”, detalha o profissional.

 

MONITORAMENTO

Dados relacionados a radiação solar diária medido na estação agrometeorológica da Embrapa Agropecuária Oeste, por meio do Guia Clima , demonstram que desde setembro a radiação solar que incidiu sobre a região de Dourados foi abaixo do normal.

 

“Esse fenômeno ficou ainda mais evidente de outubro em diante, meses em que os valores medidos foram pelo menos 15% abaixo do normal.

 

Para se ter uma ideia, nos meses de novembro, dezembro e janeiro no período de 2001 a 2012, jamais foram registrados valores tão baixos como os de agora. Logo, esta safra está sendo atípica e constituindo um recorde para a variável luminosidade”, explica Flumignan.

 

Quando a baixa luminosidade acontece na fase de formação das vagens e enchimento de grãos, a consequência é o abortamento de vagens, especialmente as pequenas, bem como o menor enchimento e produtividade que pode diminuir entre 17% e 26%.


Fonte: Correio do Estado







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados