Página Inicial | SÁBADO, 21 DE SETEMBRO DE 2019
Postada por: Jr Lopes dia 07/10/2009
Fla e Flu nada levam com recorde de público e renda de R$ 1 milhão
Compartilhar Notícia

Uma situação inusitada marcou o clássico entre Flamengo e Fluminense, disputado no último domingo, no Maracanã. O jogo foi comemorado principalmente pelo lado rubro-negro por ter conseguido, além da vitória por 2 a 0, bater o recorde de público de todas as divisões do Campeonato Brasileiro como mandante, que era do Vasco na Série B.


A presença dos 78.409 pagantes gerou uma renda de pouco mais de R$ 1 milhão (R$ 1.016.016,00, para ser exato). Porém, nada disso garantiu sequer um centavo no caixa dos clubes, como indica o borderô da partida.


De acordo com o documento divulgado pela CBF, os clubes deveriam receber R$ 317.723,60. Porém, as penhoras fizeram com que esse dinheiro sequer passasse perto tanto da Gávea quanto das Laranjeiras.


Sem ver a cor do dinheiro, o Flamengo não assinou o documento. Apesar de o clube ter um acordo de reter 15% (como indica o documento) de todas as receitas e destiná-las ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT), não aceita a penhora de todo o valor da renda.


- Não fomos avisados por ninguém antes do jogo. Podem tê-lo feito à Federação, mas não ao Flamengo - disse o vice de futebol rubro-negro Marcos Braz.


Do lado tricolor o ocorrido foi encarado com naturalidade. O vice-presidente de futebol, Ricardo Tenório, não foi informado sobre a retenção da renda, mas não se mostrou surpreso com a informação. - Ainda não sei de nada. Até vou me informar sobre os valores, era algo que já estava previsto ser feito. Mas não acho difícil. O Fluminense sofre com algumas ações trabalhistas que geram penhoras, assim como o Flamengo.

Advogado do Tricolor por um longo período e atual gestor de futebol, Mário Bittencourt foi sucinto sobre o caso. - Desconheço.


Fonte: G1







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados