Página Inicial | TERÇA-FEIRA, 19 DE MARÇO DE 2019
Postada por: Jr Lopes dia 06/10/2009
MEC rompe contrato com consórcio do Enem após vazamento
Compartilhar Notícia

O MEC (Ministério da Educação) anunciou na noite desta segunda-feira que rompeu o contrato com a Connasel, consórcio que venceu a licitação para realizar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). O exame teve de ser adiado na semana passada após o conteúdo da prova vazar.


Desde o final da tarde desta segunda (5), representantes do Inep (órgão ligado ao MEC) e do consórcio estão reunidos em Brasília discutindo o caso. No encontro, o consórcio entregaria um relatório com respostas a vários questionamentos feitos pelo MEC aos procedimentos adotados para o Enem.


Mais cedo, o MEC informou que a União deve processar o consórcio pelo vazamento da prova, descoberto na semana passada. A Connasel, porém, ainda não se pronunciou sobre a quebra de contrato, e nega falhas na segurança.


Parceiros estatais e empresas privadas do ramo, como Cespe e Fundação Carlos Chagas, já foram consultados pelo governo para assumir a realização do exame.


O vazamento da prova está sendo apurado pela Polícia Federal, que até esta segunda-feira já havia indiciado cinco suspeitos.


Reformulado neste ano, o Enem será a única forma de seleção em 24 das 55 universidades federais. O exame é usado por federais também para substituir a primeira fase do vestibular, para compor a nota e nas vagas que sobrarem. Em 2009, o número de inscritos foi o maior registrado nas 11 edições do exame, com 4.147.527 candidatos.


O cancelamento da prova do Enem foi informado após denúncia feita pelo jornal "O Estado de S.Paulo". Segundo a reportagem, o jornal foi procurado por dois homens que informaram ter recebido o material no dia 28 de setembro de um funcionário do Inep, órgão ligado ao MEC. Eles apresentaram a prova e pediram o pagamento de R$ 500 mil por ela.


Fonte: Folha Online







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados