Página Inicial | QUARTA-FEIRA, 02 DE DEZEMBRO DE 2020
Postada por: Jr Lopes dia 04/11/2020
Palmeiras apresenta o luso Abel Ferreira, novo técnico do clube
Compartilhar Notícia
A apresentação de Abel Ferreira na Academia do Palmeiras (Foto: César Grecco / Ag Palmeiras)


Abel Ferreira adotou um discurso forte e de confiança na primeira entrevista coletiva como treinador do Palmeiras. Apresentado no início da tarde desta quarta-feira (04/11), o português confirmou que estreia contra o Red Bull Bragantino, nesta quinta (05/11), pela Copa do Brasil, e traçou o grande objetivo para a passagem no Brasil: ganhar títulos.

 

— Não vim aqui para ter férias, vim aqui para trabalhar e ganhar com o clube. Vim para ajudar os jogadores a crescerem, é a minha missão. Portanto, minha estadia nos próximos meses será aqui dentro. Não nos falta nada. O Palmeiras oferece todas as condições para os profissionais fazerem o trabalho — afirmou o treinador.

 

— Sou um homem de convicções. Gosto de seguir meus instintos, me desafiar. Não foi pelo que os outros disseram ou mostraram, foi por convicção de, com o Palmeiras, acrescentar títulos na minha carreira. Só estando com os melhores isso é possível — declarou Abel Ferreira, que afirma ter estudado bastante o Palmeiras antes do acerto.

 

— Fiz meu trabalho de casa, como o clube fez ao apostar em mim. Verde e branco é algo que me persegue como jogador e treinador. Foi a minha vontade de crescer melhor e me juntar aos melhores — brincou, citando o passado ligado ao Sporting, clube no qual começou a carreira como treinador de base.

 

O técnico palmeirense repetiu por algumas vezes na entrevista que a “organização e a grandeza” do Palmeiras chamaram a atenção e foram decisivas para o acerto. Abel Ferreira é apenas o oitavo europeu a dirigir o clube em mais de 100 anos de história.

 

— Atravessei o Atlântico para trabalhar, ganhar, ajudar a estrutura e os jogadores a crescer, não para conhecer a cidade. (...) Estudei o clube, e as minhas ambições de agora e do futuro se encaixam muito. Há um plano muito bem definido por quem trabalha direto na base, mas não podemos esquecer os mais velhos, que podem ajudar os mais jovens a crescer. Assim é possível ter presente e futuro. Não quero saber disso de tempo. Vivo minha vida com muita intensidade, não penso a longo prazo — encerra.


Fonte: Globo Esporte







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados