Página Inicial | QUINTA-FEIRA, 06 DE AGOSTO DE 2020
Postada por: Jr Lopes dia 05/06/2020
Em plena estiagem, instabilidade climática intensifica em 99% as quedas de árvores
Compartilhar Notícia
Foto: Divulgação


A meteorologia indica chuvarada para os próximos dias em Mato Grosso do sul, e deve vir acompanhada de rajadas de ventos e descargas atmosféricas intensas. O cenário é atípico para o período, considerado 'seco'. Entretanto, o combo vento e chuva, que chegou essa semana no estado pede atenção redobrada, pois é causa de 99% das quedas de árvores, ocasionando problemas na rede elétrica e até acidentes.

 

Dados da Energisa revelam que nos primeiros cinco meses do ano, 599 árvores caíram no estado devido aos ventos intensos, e causaram prejuízos. Entretanto, o números demonstram uma redução em 20%, se comparado ao mesmo período do ano passado, que foi de 626 quedas. A redução na estatística se deve principalmente pelo trabalho de manutenção preventiva desenvolvido pela Energisa.

 

“Dividimos o ano em dois períodos, o de ‘chuvas’ que vai de setembro à março e o de ‘seca’ que compreende os meses de abril à setembro. Nessa época, que reforçamos o plano de poda anual realizado por 38 equipes especializadas, pois além dos ventos fortes, o contato da copa das árvores nos fios energizados é um dos principais fatores das quedas e possíveis problemas na rede elétrica”, explica Alécio Almeida Leite, coordenador do Departamento de Construção e Manutenção da  Distribuição (DCMD).

 

Os indicativos demonstram que houve aumento em 25% das podas realizadas em 2020, em relação ao mesmo período de 2019. “Intensificamos os trabalhos, e hoje registramos uma média mensal de 7.500 podas - um trabalho especializado e que busca evitar que os galhos alcancem à rede elétrica, eliminando de vez todo o emaranhado de folhas e galhos enroscados nos fios, que rompem os cabos da rede elétrica”, conclui.

 

Monitoramento em Tempo Real

Há um ano a concessionária passou a usar uma ferramenta que foi desenvolvida em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), capaz de prever com bastante antecedência, a chegada de tempestades. “A partir desse monitoramento temos maior assertividade com a logística de equipes, conseguindo realizar a mobilização e reparos em menor tempo, garantindo um melhor atendimento ao nosso cliente", explica Fernando Espindula Corradi, Gerente de Operação da concessionária.

 

A plataforma de monitoramento, atua de forma preventiva com objetivo de evitar danos à rede de distribuição e principalmente à população. “Com esse recurso, é possível identificar qual região será atingida por eventos naturais, e diante da informação privilegiada, podemos colocar as equipes de contingência em ação com mais agilidade antes mesmo da ocorrência”, conclui.


Fonte: Energisa/assessoria







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados