Página Inicial | QUARTA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2019
Postada por: Jr Lopes dia 25/03/2019
Homem é executado com 24 tiros na fronteira de MS com o Paraguai
Compartilhar Notícia

Um homem de 34 anos identificado como Bruno Pereira de Souza foi executado na tarde deste domingo (24/03) em Ponta Porã (MS) na fronteira com o Paraguai. De acordo com a Polícia Civil, com base em informações de policiais militares que atenderam a ocorrência, o homem foi atingido por 24 tiros de pistola 9 milímetros.

 

Segundo a polícia, Bruno estacionava a caminhonete em frente à casa de uma amiga quando foi alvejado. Uma testemunha que estava dentro de casa disse à polícia que quando saiu para socorrer a vítima, viu um carro de cor branca com 3 homens armados com pistolas, que fugiram em seguida. Bruno morreu no local.

 

De acordo com o delegado da 1° Delegacia de Ponta Porã, Alcides Braun, a polícia acredita tratar-se de mais uma execução na guerra pelo tráfico na região: "O crime certamente tem ligação com o tráfico de drogas, investigações serão nessa linha", afirma.

 

Guerra pelo tráfico na Fronteira

A fronteira do Brasil com o Paraguai, em Ponta Porã, região sul de Mato Grosso do Sul, sempre foi marcada por execuções, tiroteios, tráfico de drogas e armas. O local é uma das principais portas de entrada de entorpecentes e armas de grosso calibre no país.

 

A característica violenta da faixa de fronteira que compreende Ponta Porã ganhou ares de guerra nos últimos anos com a disputa pelo controle do local entre facções criminosas, segundo a polícia. Em 2018 foram mais de 30 execuções em Mato Grosso do Sul ligadas à guerra pelo controle do tráfico.

 

A disputa começou de forma mais acirrada em 2016, com a execução do narcotraficante Jorge Rafaat, morto com tiros de metralhadora em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha a Ponta Porã. Um dos suspeitos pela morte de Rafaat, segundo a polícia, é o traficante Jarvis Pavão, que está preso no Rio Grande do Norte após ser extraditado do Paraguai. O irmão de Jarvis, Rony Pavão, foi executado em 2017. Em 2018, sua advogada, Laura Casuso, foi assassinada em Pedro Juan. Em 17 de janeiro deste ano, o tio de Jarvis foi morto na fronteira. A polícia recolheu mais de 190 projéteis de fuzil.

 

Os assassinatos são atribuídos a outro traficante, Sérgio Quintiliano, o "Minotauro", preso em 4 de fevereiro deste ano. No dia 10 do mesmo mês, três homens foram executados em Zanja Pytã, distrito vizinho a Sanga Puitã, próximo a Ponta Porã. Segundo a polícia, Cesar Zorilla, uma das vítimas, faria parte de um grupo comandando por Jarvis Pavão.

 

De acordo com Cléo Mazzotti, superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso do Sul, a PF conduz investigações com foco em identificar os líderes de organizações criminosas para combater a guerra pelo tráfico na região.


Fonte: TV Morena







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados