Página Inicial | SEGUNDA FEIRA, 19 DE NOVEMBRO DE 2018
Postada por: Jr Lopes dia 16/10/2018
Odilon Junior contradiz o pai sobre visita a André Puccinelli na cadeia
Compartilhar Notícia

A justificativa dada pelo juiz aposentado Odilon de Oliveira (PDT) para a visita que o coordenador de sua campanha, o vereador e advogado Odilon de Oliveira Junior, fez no dia 8 de outubro à cela onde está preso o ex-governador André Puccinelli (MDB) e o filho dele, o advogado André Puccinelli Junior, foi desmontada nesta tarde pelo próprio filho do candidato.

 

Ao Campo Grande News, o pai disse que "Odilonzinho" havia visitado o Puccinelli Junior em razão da vida acadêmica em comum. De tarde, o próprio vereador negou e disse que ambos tiveram apenas relacionamento "por conta da profissão" e livros assinados pelo filho do ex-governador.

 

Dois dias depois da visita, o MDB anunciou apoio à candidatura de Odilon de Oliveira, que no primeiro turno fez diversas críticas ao partido do ex-governador, mas hoje, na entrevista exclusiva ao Campo Grande News, minimizou, dizendo que só a Justiça pode julgar André Puccinelli. 

 

Embora Puccinelli esteja preso desde julho, é a primeira visita que se tem notícia, e ocorreu coincidentemente logo após o segundo turno, quando Odilon Junior substitiu João Leite Schmidt na coordenação de campanha do pai.

 

A vida acadêmica comum a ambos foi citada por Odilon para justificar a visita, classificada pelo juiz aposentado como “absolutamente normal”, que seu filho fez ao ex-governador e presidente regional do MDB na cela 17 do Centro de Triagem Anizio Lima, antes de os emedebistas anunciarem o embarque na campanha do PDT ao governo no segundo turno.

 

Indagado sobre os motivos da visita, o coordenador da campanha de Odilon alegou, também, ter ido ao local como advogado, a fim de prestar consultoria a Puccinelli – preso desde 20 de julho em decorrência de investigações da Operação Papiros de Lama, desdobramento da Lama Asfáltica.

 

Cronologia

O histórico acadêmico dos fois filhos dos políticos confirma que dificilmente poderiam ser colegas de formação acadêmica. Odilon Junior se formou em 2006 na Uniderp, sete anos depois de o filho do ex-governador se graduar pela UCDB. Quando Odilonzinho estava prestes a concluir a faculdade, Pucinelli Junior concluia mestrado pela USP, em 2005.

 

Odilon Junior negou também que tenha sido aluno de Puccinelli Junior. “Ele não foi meu professor. Tive relacionamento com ele por conta da profissão. Conheço ele (Puccinelli Junior) há bastante tempo, li livros dele. O conhecimento vem dessa época”, disse. “Somos colegas de trabalho”, emendou.

 

Visita

A visita de Odilon Junior a Puccinelli ocorreu em 8 de outubro, um dia depois do primeiro turno das eleições, sendo registrada em ata da unidade prisional. O documento, que controla a entrada e saída de visitantes, apontou a entrada do coordenador da campanha do PDT no local às 11h37.

 

“Fui visitar a pedido dele (Puccinelli) na condição de advogado, para dar orientação sobre o caso dele”, declarou Odilon de Oliveira Junior. “Foi a convite para dar um parecer”, emendou, não detalhando o conteúdo de sua avaliação por conta do sigilo profissional. O também advogado Luís Pedro Guimarães, que atua em favor do ex-governador em algumas causas, chegou ao local no mesmo horário, o que foi tratado por ambos como coincidência.

 

André Puccinelli é o presidente regional do MDB. Depois de sua prisão, o cargo passou a ser exercido interinamente pelo senador Waldemir Moka. Na quarta-feira seguinte à visita, o MDB realizou ato em seu diretório para anunciar o apoio a Odilon no segundo turno, que será disputado contra o governador Reinaldo Azambuja (PSDB).


Fonte: Campo Grande News







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados