Página Inicial | SÁBADO, 15 DE DEZEMBRO DE 2018
Postada por: Jr Lopes dia 20/08/2018
Sesi apresenta software como solução para gestão de Saúde e Segurança do Trabalho
Compartilhar Notícia
Foto: Divulgação


Previsto para entrar em vigor em janeiro de 2019, o eSocial, ferramenta desenvolvida pelo Governo Federal para unificar o envio de informações trabalhistas aos órgãos reguladores, exigirá uma mudança de comportamento das empresas. Para ajudar os empresários, o Sesi disponibiliza o Business Intelligence (B.I), um software que coleta, organiza, analisa e monitora todos os dados de uma empresa.

 

Com a palestra “Gestão de SST -  Sistema informatizado do Sesi”, o analista de gestão de SST (Saúde e Segurança do Trabalho), Ewerton de Oliveira Souza, apresentou no sábado (18/08), durante a Feira do Empreendedor, realizada pelo Sebrae/MS, como o B.I pode ajudar nas informações que devem ser informadas para o governo e, ainda por cima, melhorar a gestão das empresas.

 

“O eSocial cobra uma série de informações e é importante que os empresários se organizem para registra-las corretamente. Com um sistema como o B.I, ele vai ter os dados que precisa passar para o eSocial e ainda pode ter uma noção melhor do que acontece na sua empresa, como quantos funcionários se ausentaram por motivo de saúde do trabalho e qual foi o problema no ano passado. Então com um clique, o B.I se molda conforme a sua necessidade”, explicou.

 

Ewerton de Oliveira Souza ainda destacou que o software permite ainda que a empresa se torne mais competitiva. “Quando você consegue melhorar a gestão e ter esses dados que auxiliam na tomada de decisão, você estrutura os procedimentos e gera uma economia com relação às autuações por irregularidades. Quando você consegue gerar economia na empresa, você pode usar aquele dinheiro para investir em outra área que trará mais competitividade”, acrescentou.

 

Para encerrar a palestra, ele ainda destacou como a tecnologia auxilia na gestão das empresas ao apresentar os óculos de realidade virtual utilizados pelo Sesi nos cursos de NR 23, norma regulamentadora que trata de proteção contra incêndios, e NR 35, que trata de trabalho em altura. “É um jeito mais fácil e atrativo de ensinar uma coisa séria em um curso que é obrigatório para as empresas”, finalizou.


Fonte: Daniel Pedra/Fiems







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados