Página Inicial | DOMINGO, 22 DE ABRIL DE 2018
Postada por: Jr Lopes dia 21/03/2018
Brasileira que fez história em PyeongChang vai mal no Mundial
Compartilhar Notícia
Isadora Williams no Mundial de patinação (Foto: Reprodução)


A motivação estava lá, mas o desempenho não foi o mesmo. Após fazer história na Olimpíada de Inverno de PyeongChang, Isadora Willliams voltou ao rinque nesta quarta-feira (21/03) para o Mundial de patinação artística, em Milão, na Itália, mas o resultado não foi o mesmo. Bem abaixo do que exibiu na Coreia do Sul, a patinadora brasileira conseguiu apenas 42,16 pontos na apresentação do programa curto e dificilmente conseguirá uma vaga no programa livre, quando as atletas brigam por medalhas. Para efeito de comparação, ela tirou 55,74 há pouco mais de um mês, 13,58 pontos a mais do que agora, com a mesma rotina ao som de "Hallelujah", interpretada por K. D. Lang.

 

- Foi difícil patinar depois dos meus dois primeiros erros no Lutz e no Loop. A minha segunda parte foi boa. Lutei até o fim. Obrigado a todos vocês pelo incrível suporte - disse Isadora nas redes sociais após a sua participação.

 

Isadora foi a décima atleta a competir, na segunda rodada de patinadoras, divididas em grupos. Após a décima exibição, figurava em nono lugar. Ao todo, 37 patinadoras apresentarão o programa curto e as 24 melhores avançam para o programa livre, na próxima sexta-feira. Em PyeongChang, com a pontuação conseguida, Isadora ficou em 17º no programa curto e conseguiu um lugar na final, fechando sua participação, a melhor da história do Brasil, em 24º após sofrer uma queda. Caso tivesse repetido o desempenho da Coreia do Sul, ela teria a terceira colocado na parcial entre as dez primeiras patinadoras.

 

A brasileira sofreu na final de PyeongChang quando foi a última patinadora a competir no sorteio feito pela organização. Logo no primeiro salto, caiu e não conseguiu mais se recuperar. Depois da competição, ela confessou que sofre com a espera e tem problemas para conter a ansiedade por esperar tanto após o aquecimento.

 

A situação se repetiu em Milão quando ela foi a última das primeiras dez patinadoras e se exibir. Em sua rotina, errou os dois primeiros saltos, mas depois conseguiu uma exibição limpa. As falhas, porém, tiraram dela a chance de avançar. Em sua melhor participação em Mundiais, ela ficou em 25º lugar em Londres, em 2013. Em 2017, em Helsinque, foi 30ª.


Fonte: Globo Esporte







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados