Página Inicial | TERÇA-FEIRA, 21 DE NOVEMBRO DE 2017
Postada por: Jr Lopes dia 19/10/2017
Funcionários da JBS em Naviraí vão às ruas e pedem garantia de emprego
Compartilhar Notícia
Trabalhadores da JBS protestam em Naviraí e pedem a manutenção dos empregos e dos salários (Foto: Folha de Naviraí/Jr Lopes)


Trabalhadores da unidade da planta frigorífica da JBS de Naviraí foram às ruas na manhã desta quinta-feira (19/10), para protestarem contra o bloqueio de recursos da empresa, que foi determinado pela justiça atendendo pedido feito pela CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da JBS que foi instaurada na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. Eles cobram a manutenção dos empregos e dos salários.

 

O protesto dos trabalhadores percorreu as principais ruas e avenidas de Naviraí e foi encerrado em frente ao paço municipal da cidade. Em coro, os trabalhadores gritavam palavras de ordem como: “Fora Temer golpista” e “Queremos trabalhar”. À frente da manifestação esteve o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Naviraí (STIA), Algemiro Lopes, que empunhando um microfone ao lado de um carro de som ia conclamando aos comerciantes e à população de modo geral para que manifestem apoio ao protesto.

 

- Nós do sindicato não estamos parados e vamos lutar até o final para que sejam garantidos os empregos destes pais e mães de família – disse o sindicalista.

 

O vereador Júnior do PT acompanhou o protesto dos funcionários da JBS de Naviraí. Ao fazer uso da palavra, o vereador disse que “a manifestação é mais do que justa pois a garantia do emprego é um ato constitucional, está previsto na constituição”, declarou.

 

ATIVIDADES SUSPENSAS

Por meio de nota, a empresa anunciou na quarta-feira (18/10) que está suspendendo por tempo indeterminado a compra e o abate de animais nas sete unidades da JBS instaladas em seis municípios do Mato Grosso do Sul: Naviraí, Anastácio, Campo Grande, Cassilândia, Nova Andradina e Ponta Porã. O motivo, segundo a empresa, é a insegurança jurídica que foi gerada no estado com o bloqueio dos recursos da empresa determinado pela justiça.

 

A nota afirma ainda que os funcionários irão receber os salários normalmente até que a empresa tome uma decisão definitiva sobre o funcionamento dos frigoríficos. A empresa afirmou ainda que está tentando normalizar as operações e garantir o emprego de pelo menos 15 mil empregos diretos e 60 mil indiretos em Mato Grosso do Sul..

 

A justiça deferiu dois pedidos de bloqueio de recursos feitos por uma Comissão Parlamentar de Inquérito da Assembleia Legislativa, que somaram R$ 730 milhões por supostos prejuízos fiscais causados ao estado.

 

A CPI da JBS é formada pelos deputados estaduais Paulo Corrêa (PR), presidente da comissão, Eduardo Rocha (PMDB), relator Paulo Siufi (PMDB), Flávio Kayatt (PSDB) e Pedro Kemp (PT).  

 

A JBS está disposta a retomar as atividades no estado em troca de garantias para ressarcimento dos prejuízos ao Fisco Estadual. A empresa propôs, segundo o presidente da CPI, deputado estadual Paulo Corrêa (PR), a substituição do bloqueio de dinheiro por imóveis. “É possível”, comentou Corrêa.

 

Mato Grosso do Sul está em segundo lugar no ranking de produção de gado, atrás de Mato Grosso, com um rebanho superior a 20 milhões de cabeças.


Fonte: Folha de Naviraí







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados