Página Inicial | TERÇA-FEIRA, 25 DE ABRIL DE 2017
Postada por: Jr Lopes dia 12/04/2017
Fachin encaminha ao STJ citações envolvendo 9 governadores
Compartilhar Notícia

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin determinou que as citações contra nove governadores nas delações de ex-executivos da Odebrecht sejam remetidas ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), tribunal responsável por julgar governadores. Fachin atendeu ao pedido de desmembramento feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

 

Fachin autorizou a abertura de inquérito de três governadores no STF - Alagoas, Acre e Rio Grande do Norte - pois os três são citados em ações envolvendo pessoas com foro no Supremo.

 

A decisão do ministro Fachin foi assinada no dia 4 abril e estava prevista para ser divulgada após o feriado de Páscoa. No entanto, a divulgação foi antecipada para hoje depois da publicação de informações pelo jornal O Estado de S. Paulo, que teve acesso à integra das decisões.

 

Veja os nomes dos 9 governadores citados:

1 - Paulo Hartung (Espírito Santo)

2 - Geraldo Alckmin (São Paulo)

3 - Fernando Pimentel (Minas Gerais)

4-  Flávio Dino (Maranhão)

5 - Luiz Fernando Pezão (Rio de Janeiro)

6 - Raimundo Colombo (Santa Catarina)

7 - Marcelo Miranda (Tocantins)

8 - Beto Richa (Paraná)

9 - Marconi Perillo (Goiás)

 

Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, manfestou-se por meio de sua assessoria de imprensa. "Jamais pedi recursos irregulares em minha vida política, nem autorizei que o fizessem em meu nome. Jamais recebi um centavo ilícito. Da mesma forma, sempre exigi que minhas campanhas fossem feitas dentro da lei", disse.

 

O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, ressaltou em nota que não disputou as eleições de 2010 e 2012. "Portanto, é leviana, mentirosa e delirante a citação de que ele teria recebido recursos da construtora Odebrecht", declarou por meio de sua assessoria. "O governador afirma que acusações infundadas como essa só contribuem para confundir, tumultuar a investigação e manchar a trajetória das pessoas de forma irresponsável".

 

Já o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, disse que só vai se pronunciar depois que o teor das delações for divulgado.

 

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, disse que não vai comentar sobre o assunto, porque não sabe do que está sendo acusado, pois foram divulgados apenas nomes em uma suposta lista.


Fonte: Agência Brasil







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados