Página Inicial | TERÇA-FEIRA, 19 DE SETEMBRO DE 2017
Postada por: Jr Lopes dia 14/09/2016
Caravana da Saúde realiza cirurgias eletivas em Campo Grande
Compartilhar Notícia
Foto: Edemir Rodrigues


A Caravana da Saúde iniciou nesta semana o cronograma de cirurgias eletivas em parceria com o Hospital Adventista do Pênfigo em Campo Grande. A ação dá continuidade aos atendimentos da programação de Caravana onde são previstas cerca de 4 mil cirurgias eletivas, com especialidades em cirurgia geral, urologia, ginecologia e ortopedia. A expectativa é de que sejam realizadas o equivalente a 56 cirurgias semanais no hospital. Além do Pênfigo, as ações da Caravana da Saúde também estão sendo realizadas pelo Hospital São Julião na realização de cirurgias eletivas.

 

Nesta terça-feira (13) os primeiros pacientes que passaram pelas cirurgias falaram sobre o alívio de conseguirem realizar seus procedimentos e também sobre as dificuldades em depender do sistema público na busca pelo atendimento em saúde.

 

Moradora em Campo Grande, Marcia Aparecida dos Santos Souza, 41 anos falou sobre a espera de mais de 3 anos para conseguir realizar seus exames e até mesmo a cirurgia após o diagnóstico de que possuía pedras na vesícula. “Eu praticamente ia e voltava ao posto de saúde. Durante três anos não conseguia marcar absolutamente nada e ainda sentia muitas dores. Só fui saber que estava com pedra na vesícula depois de uma consulta na rede particular. Mas já estava desistindo por que teria que depender do sistema público para fazer a cirurgia. Meu alivio foi receber a confirmação de que eu realizaria a minha cirurgia através da Caravana da Saúde. Foi uma felicidade, pois meu maior medo era a longa espera para conseguir ser atendida”, disse Marcia.

 

Há mais de 1 ano sob licença médica, o trabalhador em fazenda, Sebastião Maciel, 52 anos, aguardava há mais de 3 anos por uma vaga para realizar uma cirurgia de hérnia pela rede pública. “Os primeiro sintomas foram há uns 3 anos atrás, mas todo o processo de se conseguir uma consulta, ou exame pela rede pública acaba nos desanimando em continuar o tratamento. A justificativa era sempre a mesma, a falta de vagas. Quando me ligaram dizendo que eu finalmente faria a minha cirurgia eu fiquei aliviado e tudo isso pela Caravana da Saúde. Muitas pessoas são beneficiadas por essa iniciativa, é um programa que não pode acabar”, destacou Sebastião.

 

Aguardando a ultima consulta para a realização de uma cirurgia de vesícula, Mariana Inácio da Silva, 67 anos, destacou a rapidez para conseguir ser atendida através da Caravana da Saúde. “Já acompanhava a Caravana da Saúde desde o inicio dos atendimentos em Campo Grande. Meu esposo fez os procedimentos oftalmológicos e hoje está muito bem. Agora é a minha vez com esta cirurgia de vesícula. Desde que entraram em contato comigo para a realização dos exames e o encaminhamento para a cirurgia, foi tudo muito rápido. Isso nos deixa mais tranquilos, ainda mais para aqueles pacientes que estão há muito tempo aguardando por um procedimento como este”, disse Mariana.

 

Projeto inovador na saúde

A Caravana da Saúde é um dos principais projetos implementados pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul em 2015 levando atendimentos em oftalmologia, consultas, exames e cirurgias de média complexidade com o objetivo de reduzir a fila de espera para atendimentos médicos. Atualmente a Caravana já soma mais de 45 mil cirurgias, 850 mil procedimentos e mais de 240 mil pessoas atendidas.

 

Além dos atendimentos em saúde, a Caravana contou com a participação de instituições parceiras que acompanharam as equipes do Governo do Estado em cada edição, sendo elas: Associação Brasileira de Odontologia em MS (ABO-MS), Hospital do Câncer Alfredo Abrão, Hemosul, Hospital do Câncer de Barretos, Grupo Onça Pintada, Marinha do Brasil, Universidade Estadual de MS (UEMS), Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, Sesc, Senac, Tribunal de Justiça de MS, Instituto de Identificação, Famasul, Exército e Ministério Público de MS, entre outras.


Fonte: Notícias MS







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados