Página Inicial | SÁBADO, 30 DE MAIO DE 2020
Postada por: João Guizolfi dia 15/04/2015
Quadrilha planejava furtar bancos para abastecer tráfico de drogas em SP
Compartilhar Notícia
Quatro dos cinco integrantes da quadrilha foram presos em um hotel na Capital. (Foto: Marcelo Calazans)


A Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) prendeu cinco homens suspeitos de integrar uma quadrilha que planeja realizar furtos a bancos em Mato Grosso do Sul para comprar drogas que seriam enviadas para o Estado de São Paulo. Com o bando, a polícia apreendeu um equipamento utilizado para furtar caixas eletrônicos, R$ 4,2 mil em dinheiro e 317 quilos de maconha.


Segundo o delegado adjunto da Denar, João Paulo Sartori, a apreensão foi resultado de cerca de um mês de investigação. Durante os trabalhos, a polícia descobriu que André Atílio de Castro Ribeiro, 33 anos e Diogo Vasconcelos Cândido, 20 anos, viriam da cidade de São Bernardo do Campo (SP) para Mato Grosso do Sul comprar drogas.


Conforme o delegado, na tarde de ontem, os investigadores encontraram, além de André e Diogo, Patrick Januário Souza, 28 anos e Manoel Aparecido Costa, 36 anos hospedados em um hotel na Vila Carvalho. No local, a policia encontrou um equipamento utilizado para confeccionar apetrechos a fim de retirar envelopes com dinheiro e cheques dos caixas eletrônicos, além de R$ 4,2 mil em dinheiro que seriam utilizados para adquirir a droga.


De acordo com Sartori, Patrick era responsável por intermediar a compra da droga de Fernando Ferrari Neto, 32 anos, traficante já conhecido das autoridades policiais do Estado. Na casa de Fernando, no distrito de Indubrasil, a polícia encontrou 317 quilos de maconha.


Com o bando, além da droga e do dinheiro, a policia apreendeu dois veículos, uma pick-up Corsa e um Honda Fit que seriam utilizados para levar a maconha para São Paulo.


O delegado diz que não é possível dizer se o bando chegou a realizar algum furto no Estado, situação que será investigada pelo Garras (Grupo Armado de Resgate e Repressão de Assaltos e Sequestros), bem como a participação de outras pessoas no “esquema”.


Todos acumulam passagens por diversos crimes, entre eles, roubo, tráfico, receptação, porte ilegal de arma, associação ao tráfico e estelionato.


Fonte: Campo Grande News







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados