Página Inicial | SEXTA-FEIRA, 19 DE JULHO DE 2019
Postada por: João Guizolfi dia 06/02/2015
Estado teve 22 mortes por desastres naturais em dois anos
Compartilhar Notícia

Mato Grosso do Sul registrou 22 mortes causadas por desastres naturais. Os números apresentados correspondem aos anos de 2013 e 2014. Já a quantidade de pessoas afetadas por temporais e ventanias, se aproxima de 300 mil, segundo material divulgado nesta quinta-feira (5), pela Defesa Civil do Estado.


Pela manhã, o governador Reinaldo Azambuja participou de uma reunião com o coordenador da Defesa Civil, Coronel Bittencourt, com o objetivo de analisar o quadro atual e definir estratégias implantação e estruturação da Defesa Civil nos municípios do Estado.


A intenção é que seja elaborado um conjunto de ações para diminuir o número de vítimas em tragédias naturais que possam ocorrer.


Durante a reunião, foi apresentado o balanço dos dois últimos anos com o total de pessoas atingidas pelas catástrofes naturais no Mato Grosso do Sul.


Segundo os dados apresentados, em 2013 cerca de 80 mil pessoas foram afetadas diretamente por temporais e vendavais, 873 pessoas ficaram desabrigadas, 4.599 ficaram desalojadas e 11 pessoas morreram vítimas de desastres, sendo duas vítimas da inundação em Bela Vista.


Já em 2014, foram 213.713 mil pessoas afetadas por temporais e vendavais, com 334 desabrigados, 861 desalojadas e 11 vítimas fatais, incluindo as vítimas do desastre de Porto Murtinho.


Com esses dados, a intenção do Governo e da Defesa Civil é mapear as áreas de risco e propor projetos de prevenção para essas regiões. Mato Grosso do Sul possui hoje áreas de risco nas regiões ribeirinhas do Pantanal, e a região sul do Estado que sofre com maior incidência de chuvas de granizo.


Hoje a Defesa Civil conta com estrutura ativa em 44 municípios, veículos, salas administrativas e depósitos para atender a população, e a intenção e levar a estrutura para todas as cidades do Estado, melhorando assim o índice na prevenção de acidentes naturais. De acordo com o Secretário Sérgio de Paula, a Defesa Civil é uma prioridade para o Governo do Estado, “podem ter certeza de que a Defesa Civil terá destaque nessa administração”, disse.


Foi solicitado também um levantamento da atual estrutura da Defesa Civil, que será encaminhado diretamente à Casa Civil para análise, “vamos implantar um almoxarifado para guardar equipamentos usados nos casos de emergência, kits de primeiros socorros, roupas, alimentos, colchões”, afirmou o governador.


“O objetivo do Governo é oferecer a todos os municípios uma estrutura de Defesa Civil que contribua para um menor número de vítimas em caso de acidentes”, finalizou Reinaldo.


Fonte: Dourados News







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados