Página Inicial | SEGUNDA FEIRA, 20 DE NOVEMBRO DE 2017
Postada por: Jr Lopes dia 27/11/2009
Hacker pode causar apagão, diz chefe de segurança de Lula
Compartilhar Notícia

O risco de hackers invadirem sistemas de infraestrutura do governo brasileiro é real, segundo informou o diretor-geral do Departamento de Segurança da Informação e Comunicações (DSIC) do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, Raphael Mandarino Júnior, em entrevista ao G1.


"Possibilidade de apagão existe", afirma o chefe do DSIC, que ele mesmo denomina como "Bope" das 320 redes de computadores do governo federal. Mas, segundo ele, um ataque pela internet é "improvável", graças a "nosso atraso tecnológico".


No dia 10 deste mês, um apagão atingiu 18 estados brasileiros e o Paraguai. Dois dias antes, um programa exibido na televisão americana, o "60 minutes" da CBS, afirmou que hackers causaram blecautes no Brasil em 2005 e 2007, o que trouxe à tona a hipótese de que o apagão deste ano também possa ter sido consequência de uma invasão de sistema.


Mandarino explica que não há sistema 100% seguro. Ele acredita que um apagão ou um dano à rede de abastecimento de água, no entanto, seria mais viável por meio de engenharia social (quando uma pessoa finge ser um profissional da área para obter acesso a um local restrito).


"Nosso atraso tecnológico ajuda. Nossos sistemas de estrutura não estão interligados. Ficam fora da internet", diz Mandarino. "Um hacker habilidoso pode entrar no local e fazer alguma coisa, mas pela internet acho muito improvável."


Ele diz que foi procurado pela equipe do "60 minutes". "Fui atrás da informação, procurei todo mundo e não vi nenhum indício (de que os apagões de 2005 e 2007 tenham sido causados por hackers)."


Em relação ao blecaute do último dia 10, Mandarino afirma também não ter encontrado nenhuma atividade anormal. "Não temos nenhuma notícia de um ataque mais sério além da pichação (alteração de página por criminosos) no site do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), que remete a uma fragilidade da rede a que o gestor não estava atento."


Entre os sistemas de infraestrutura do país, o mais automatizado é o de telecomunicações. Mandarino cita o exemplo da Telefônica, que sofreu em abril deste ano um ataque que causou pane nas conexões de internet.


Numa escala de 0 a 10, Mandarino classifica a segurança do governo federal entre 7,5 a 8. "É uma estrutura boa. Não estou puxando a sardinha. Temos regras estabelecidas desde 2000. É um grande caminho percorrido."


"Segurança cibernética não é um objetivo, é um caminho. Nunca vai estar pronta. A cada dia surgem novos equipamentos. São 350 vírus criados por semana. É uma loucura."


Fonte: G1







Naviraí Diário | Todos os Direitos Reservados